Respeito e Sensibilidade de uma Promoter para com as Relações Públicas e vice-versa.

 Andréa Nakane – Registro Profissional 3260/2ºregião

Alicinha Cavalcanti

Na semana passada, Alice Regina Alves Cavalcante, conhecida socialmente por Alicinha Cavalcanti, depois de uma batalha gigantesca contra uma doença, ainda muito pouco conhecida pela sociedade, a Afasia Progressiva Primária (APP), faleceu no dia 02, aos 58 anos, deixando o mundo dos eventos muito sensibilizado e nostálgico com sua trajetória.

A APP é uma síndrome neurológica rara, relacionada a um quadro de degeneração do cérebro, e que afeta, progressivamente, a linguagem. Essa condição causa alterações cognitivas e comportamentais, reduzindo a autonomia e independência da pessoa acometida, tanto que quando foi diagnosticada como portadora dessa doença, em 2017, Alicinha se recolheu, não mais sendo visto e deixando até mesmo de alimentar suas redes sociais. Além da APP, Alicinha também desenvolveu a esclerose lateral amiotrófica (ELA) e recebia tratamento domiciliar desde então.

Alicinha Cavalcanti começou a carreira aos 20 anos na casa noturna The Gallery, em São Paulo, palco de grandes fenômenos musicais durante a década de 80, como Tim Maia e Cazuza. tendo como seu mentor e até padrinho, o empresário do entretenimento, José Victor de Oliveira.

Alicinha foi considerada a maior e mais conhecida promoter do Brasil, com um mailing que continha 17 mil nomes de famosos.

Tive oportunidades de trabalhar ao seu lado e sua energia era realmente algo contagiante, emoldurada por um sorriso sempre presente. Ela fazia questão de dizer que era promoter e não RP, demonstrando sua consciência e respeito pela profissão regulamentada, mas não usava sua titulação, pois sabia que era incorreto, apesar de ter verdadeiros atributos vocacionais para ser a mesma, faltando a formação específica.

Só de ter essa conduta já dizia muito de seu grau de profissionalismo, pois vemos com frequência pessoas sem formação e até mesmo sem talento para as relações públicas se auto propagarem como tal, sem honestamente ser.

No Brasil, a própria sociedade e imprensa ainda tem dificuldades de identificar o que ser promoter e o que é ser relações públicas.

A profissão de RP está focada na construção de relacionamentos com os diversos grupos de interesse que orbitam uma organização, de qualquer setor, e nesse caso também podemos pensar na ótica de um evento.

Lidar com públicos tão distintos como a Imprensa, Convidados VIPs, Influenciadores Digitais, Autoridades e até mesmo o público alvo seria o papel do RP em um evento, o que pode acarretar resultados de maior sucesso, já que contaríamos com uma visão plenamente profissional para esse estímulo.

A visão multidisciplinar acompanhada da sensibilidade em não só atender, mas sobretudo, entender de gente, faz com que as Relações Públicas tenham um papel vital no contexto contemporâneo, trabalhando com paradigmas e sendo ele propriamente dito um incitador de novos horizontes, entre os quais encontra-se o engajamento. Esse profissional também poderá ser responsável por aplicações de pesquisa de opinião, além de gerar exposições positivas do evento em todo o campo midiático, seja por veículos da imprensa propriamente dita ou pelas redes sociais próprias da empresa ou do evento.

Já o que se condiciona chamar de promoter tem a caraterística de justamente atrair participantes ou convidados para o evento, geralmente com um viés comercial e social, de atiçar interessados na compra de ingressos e tickets, que possam depois também serem materiais de trabalho na repercussão midiática.

A palavra “promoter” vem do inglês “promotor” (não no sentido legislativo, mas sim no de promover algo) e não pode ser confundida com a que usualmente utilizamos para definir o que tem interesse e investe na realização de um evento, o promotor.

O promoter geralmente tem atuação mais concentrada na promoção de festas em boates, danceterias etc., mas pode também ser integrante de uma comissão organizadora de um evento com o propósito de convidar determinados perfis de pessoas ou até mesmo esse novo público em voga na atualidade, chamado de Influenciadores Digitais.

Percebe-se, então, que a junção dos expertises de RP com um Promoter, sem dúvida alguma, pode intensificar os resultados de sucesso de um evento, local e/ou imagem de uma pessoa física ou jurídica.

Alicinha Cavalcanti foi uma referência como promoter no Brasil e assinou milhares de festas e projetos com seu nome, uma espécie de grife, simbolicamente fundindo glamour, alegria e muito networking.

Sabia do seu papel, e tinha consciência do quanto tinha ao seu lado pessoas que realmente nutriam bons sentimentos por ela e do outro lado, o quanto tinha de interesseiros e aproveitadores. Nunca perdeu a linha e com uma postura educada buscava conciliar e exaltar o bom da vida, reunindo pessoas para celebrarem, se divertirem e se emocionarem, afinal, compreendia muito bem que a coleção de momentos assim, deixaria a trajetória de todos ainda mais especial e cheia de memórias ternas e felizes.

As mesmas que terei dela até o fim… ou melhor, até o momento de um novo encontro em outras dimensões, com direito a uma lista de pessoas realmente do bem e do amor, sem penetras para importunar a paz tão merecida.