Responsabilidade Social, Relações Públicas e Cooperativismo

Por Gabriel Finamore, Registro 4630

Como três áreas que parecem ser tão opostas se interligam de alguma forma e contribui para o desenvolvimento do indivíduo e de uma sociedade mais sustentável?

Se fizermos uma pesquisa rápida na internet do que é o conceito de cada uma, vamos encontrar as seguintes definições:

Responsabilidade Social: Cumprimento de obrigações das instituições, organizações e indivíduos para com a sociedade no geral.

Relações Públicas: “Processo estratégico de comunicação, que constrói relações de benefício mútuo entre organizações e seus públicos”.

Cooperativismo: “É a doutrina que preconiza a colaboração e a associação de pessoas ou grupos com os mesmos interesses”

Dentre todas as formas de Cooperativismo, o que mais me encanta é o que é desenvolvido por catadores, denominando como: “Cooperativas de Catadores”, mas o que isso tem em comum com RP e RS?

No ano de 2010, foi criado a Política Nacional de Resíduos Sólidos (Lei nº 12.305/10) esta lei, organiza a forma com que o Brasil deve lidar com o lixo, além disso, estabelece diretrizes para as empresas, gerenciar de forma efetiva os seus resíduos.

Com a lei em vigor, as empresas, fabricantes, distribuidores, comerciantes, prefeituras e o cidadãos como um todo; devem praticar a Logística Reversa, ou seja, é o fluxo que os resíduos percorrem desde o ponto de consumo até o local de origem; isso fez com que as empresas, fabricantes etc. Se adequassem o quanto antes a PNRS. Porém, como uma empresa que nunca dialogou com a comunidade local, passa a pedir para que ela devolva as embalagens pós consumo para que ela recicle e cumpra com a lei?

Dificilmente isso acontece, é por isso, que as instituições passam a adotar estratégias de Relações Públicas para construir um relacionamento com as Cooperativas de Catadores e Centrais de Triagem, que outrora era inexistente.

Isso faz com que, essas Cooperativas, destinem os seus números finais através de Notas Fiscais, pois essas empresas, precisam prestar contas ao Governo e a Sociedade. Em troca disso, são oferecidos a essas Cooperativas: Recursos materiais como equipamentos, recursos financeiros e treinamento de capacitação profissional.

Respondendo a indagação que foi feita no começo deste artigo,  a Responsabilidade Social, determina que as empresas e indivíduos cumpram com suas obrigações com a sociedade no geral, para isso, precisa que a prática das Relações Públicas seja instituída pois este profissional age de forma estratégica no desenvolvimento de uma comunicação eficaz; ambas ás áreas, encontram no Cooperativismo, uma oportunidade de desenvolver para a sociedade estratégias que contribuam com o seu desenvolvimento e emancipação.

Mais do que nunca, o profissional de RP, precisa estar dentro dessas instituições, pois cada vez mais, a sociedade exige transparência e envolvimento em causas sociais.

RP convidado: Gabriel Finamore

Relações Públicas pela PUC-Campinas, Conselheiro Estadual da Juventude (Governo do Estado de São Paulo) e Ativista Social por essência; Gabriel tem aplicado técnicas de Relações Públicas frente a Ações Sociais no combate ao Coronavírus dentro das periferias; e, foi assim, que fundou o Ação Gueto, grupo de amigos do bem, que através de Ações Sociais, já impactaram a vida de mais de 2000 pessoas na cidade de São Paulo. Por conta de sua atuação, foi indicado ao Prêmio, “Profissional RP do ano de 2020”. E, com 1.487, ficou com o primeiro lugar.