RP na área da saúde e as campanhas de prevenção ao câncer

Hospitais tratam da saúde de pessoas, mas como quaisquer outras também possuem estruturas administrativas e também precisam de comunicação.
O papel do relações-públicas nesses ambientes é estratégico. Ele elabora ações de comunicação (interna ou externa) para que aquele ambiente cumpra com o papel fundamental de educar sobre a saúde.

A seguir, listamos alguns exemplos de comunicação nos hospitais:

Trazer informação sobre o hospital de forma simples e concreta;
Trabalhar a imagem dessas instituições de uma forma que o público se sinta acolhido por elas, especialmente nos momentos de fragilidade;
Buscar humanizar o atendimento nos serviços de saúde, fazendo ações de comunicação com a equipe do hospital.

Nós comunicadores e Relações-Públicas temos o papel de repassar informações relevantes para a sociedade, como por exemplo as campanhas de conscientização, como a de Outubro Rosa e Novembro Azul.

O movimento internacional do Outubro Rosa existe desde 1990. Este ano a campanha aqui no Brasil é chamada “Quanto antes melhor”.
Segundo o Instituto Oncoguia, os casos que são diagnosticados no estágio inicial tem 95% de chance de cura. Esse tipo de câncer é o mais comum entre as mulheres do Brasil e do mundo e tem muitos sintomas, entre eles:

  • alterações no tamanho ou forma da mama;
  • nódulo único e endurecido;
  • vermelhidão, inchaço, calor ou dor na pele da mama, mesmo sem a presença de nódulo;
  • nódulo ou caroço na mama, que está sempre presente e não diminui de tamanho;
  • sensação de massa ou nódulo em uma das mamas;
  • sensação de nódulo aumentado na axila;
  • espessamento ou retração da pele ou do mamilo;
  • secreção sanguinolenta ou aquosa nos mamilos;
  • assimetria entre as duas mamas.

Já o Novembro Azul vem com a campanha de conscientização sobre o câncer de próstata. Esse tipo de campanha é muito mais difícil, pois precisa quebrar o tabu entre os homens sobre o exame de próstata.
Para que a doença seja diagnosticada há a necessidade de fazer dois tipos de exame: o exame de sangue, por meio do Antígeno Prostático Específico (PSA) e o exame de toque retal. E segundo a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), esses dois exames associados têm segurança de 90% ou mais e ajuda no diagnóstico do câncer na fase inicial. Alguns sintomas são:

  • Fluxo urinário fraco ou interrompido;
  • Vontade de urinar frequentemente à noite (Nictúria);
  • Sangue na urina ou no sêmen;
  • Disfunção erétil;
  • Dor no quadril, costas, coxas, ombros ou outros ossos se a doença se disseminou;
  • Fraqueza ou dormência nas pernas ou pés.

Esses dois tipos de câncer são comuns e podem ser diagnosticados de forma mais fácil se homens e mulheres fizerem os exames preventivos. Daí a necessidade de educar a população, quebrando preconceitos, orientando pacientes e suas famílias. O diagnóstico precoce pode salvar vidas e nós, profissionais da comunicação, podemos ajudar!