Relações Públicas na era digital

O profissional de Relações Públicas tem enfrentado transformações na área de comunicação. As mudanças nas mídias e as novas tecnologias são o maior desafio para os comunicólogos de plantão.

Segundo o estudo The Evolution of Ethics, que mapeou os principais agentes de transformação na comunicação, o maior acesso a dados e a mudança no modelo de negócios estão ranqueados entre os novos desafios.

O relações-públicas diante desse novo cenário atua na construção de uma comunicação assertiva -função antes já exercida-, mas agora em maior escala. Além disso, cabe ao profissional de comunicação compreender como as pessoas se comunicam, são influenciadas e como fazer com que elas espalhem sua mensagem. Também fica sob sua responsabilidade posicionar as marcas e conectá-las, ir além das barreiras geográficas.

Nas relações públicas digitais é imprescindível relacionar-se com pessoas influentes e estratégicas para seu cliente. Para isso, é necessário traçar um planejamento, desenhar uma linha editorial, produzir conteúdo, postar e acompanhar, analisar as interações, produzir relatórios com métricas. A atenção nesse processo é fundamental, pois, podem surgir crises e o RP terá que gerir da melhor maneira possível.

O surgimento dessa fatia de mercado traz algumas exigências aos interessados. É necessário novas habilidades como, inteligência analítica (diretamente ligada com a possibilidade de melhorar o desempenho de negócios, basicamente utilizando dados), domínio de ferramentas para produção de conteúdo, conhecimento de técnicas para garantir um bom posicionamento nos navegadores de busca. A lista é extensa, entretanto há muito conhecimento que é possível obter de graça na internet.

O internauta é a peça chave, ele constrói ambientes, fomenta discussões, alimenta a rede. E por isso, um dos mandamentos das relações públicas digitais é entrar nas conversas, afinal, há uma grande quantidade de indivíduos fazendo trocas sobre seus gostos, individualidades, preferências, portanto é preciso estar lá contribuindo e absorvendo.

No mundo digital as pessoas se posicionam de forma mais ríspida, são mais exigentes e cobram mais das organizações, porque nesse meio a informação é replicada rapidamente e em poucos minutos os acontecimentos tomam proporção gigantesca. Desse modo, não há como se esquivar, então vem à tona a importância do planejamento digital e de um profissional qualificado administrando as mídias.

O que é preciso para iniciar as atividades de RP Digital

1. A primeira etapa é escutar (no nosso texto sobre Relações Públicas como estilo de vida abordamos que isso está entre as habilidades do RP). Compreender o que as pessoas falam sobre a sua marca e para isso é necessário monitorar.

2. Após coletar as informações é preciso planejar. Criar estratégias de acordo com a necessidade, é importante pensar em 360º.

3. Agora chegou o momento de mapear os canais, é fundamental traçar a relação do seu público alvo com a mídia, assim será mais fácil definir quais meios utilizar.

4. A última parte é metrificar as informações.

            Não há verdades absolutas no desenvolvimento das relações públicas digitais, contudo, buscamos as melhores práticas do mercado. Com isso, seguem algumas dicas dadas pela especialista em assessoria de imprensa e posicionamento, Ana Lima, sobre  como manter-se relevante para seus clientes por meio da construção de publicações online:

– Tenha um objetivo em mente. Saiba o que você deseja que sua audiência faça;

– Saiba quem é sua audiência;

– Dê a sua audiência o que ela precisa, vá direto ao ponto;

–  Escreva com emoção e principalmente deixe sua personalidade em seu texto;

– Simplifique sua mensagem, evite rebuscar, evite palavras em língua estrangeira;

– Conte uma história;

– Use gatilhos mentais, mas com CAUTELA. Para não transparecer superficialidade.

Texto: Beatriz Monteiro

Revisão: Kelly Teodoro