Relações Públicas como estilo de vida

Olá, quer saber o que faz um relações-públicas? É isso mesmo, nós vamos explicar sobre a profissão que muitos falam, mas poucos sabem.

A sociedade avança aceleradamente, principalmente após os avanços tecnológicos que possibilitaram ao homem se comunicar remotamente. Esses acontecimentos corroboram para a cultura do imediatismo, onde todos esperam tudo para ontem. Em meio a tal circunstância, emerge a valorização do ser humano, que pretende criar as melhores experiências diante da efemeridade dos contatos.

Os relações-públicas são organizados, metódicos, engajados, estratégicos,
curiosos, assertivos e com disposição para sempre fazer mais. Um profissional multifacetado que atua em diferentes frentes de trabalho: engajamento, relacionamento, experiências com o público, cerimonial e eventos, mídias sociais, pesquisa, opinião pública, gestão de crise, métricas. Relações Públicas é um modo de comunicar, de olhar o mundo, de enxergar pessoas.

Desta maneira, o profissional conquista notoriedade, pois, entre suas habilidades está a construção de relacionamentos. Fundamentada na boa convivência, comunicação e atitudes recíprocas. A essência da comunicação está na comunicação integrada, que é o conjunto de esforços, ações, e estratégias, planejada para alcançar um objetivo comum. Portanto, o relações públicas viabiliza interações para analisar e entender seu público. A partir de então, propor medidas para construção de imagem, fortalecimento do relacionamento, restabelecimento de reputação.

O profissional deve estar atento para ouvir seu público, e assim, propor estratégias condizentes com as necessidades. Também precisa olhar com lentes de aumento, devido a prioridade em instaurar ações que construam sentido.

Com isso, desenvolvemos o olhar estratégico, fundamental nas Relações Públicas. Esse olhar 43 da comunicação permite analisar dados – o grande trunfo da atualidade – e transformá-los em ações, ouvir incondicionalmente para identificar insights, ser o porta voz e por que não, o megafone dos públicos, afinal estamos ali para ampliar vozes.

Podemos estabelecer estratégias em três níveis organizacionais: operacional, tático e estratégico. O primeiro tipo de planejamento trata de projetos de curto-prazo, podendo ser desenvolvidos por estagiários e trainees, contudo, com supervisão direta. O segundo, desenvolve programas de curto e médio prazo, de acordo com as necessidades pontuais da empresa, e são planejadas por profissionais com pouco tempo de carreira. O terceiro, é relativo à gestão da comunicação como um todo ao longo de cinco a dez anos, o responsável por esse planejamento costuma ter uma carreira estabelecida.

O relações-públicas é um facilitador na comunicação, pois, recorrem a ele para fazer o meio de campo entre os públicos. No final das contas, construímos pontes para promover relacionamentos saudáveis, com muito diálogo e escuta empática. E fazemos tudo isso olhando o jogo, isso mesmo, estudamos em profundidade o cliente, e desse modo, diagnosticamos e propomos ações de comunicação para alcançar o objetivo.

Onde podemos trabalhar?
Em organizações privadas (essas bem tradicionais, mas também as startups e agências de comunicação), órgãos governamentais, ONG’S (organizações não governamentais), negócios sociais e com personalidades públicas.

Curiosidade:
Há diferença na grafia das palavras “Relações Públicas” ao se referir ao profissional e a profissão.

  • Relações-públicas com hífen é direcionado ao profissional
  • Relações Públicas sem hífen trata-se da profissão.

Texto: Beatriz Monteiro

Revisão: Kelly Teodoro